PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quinta-feira, 26 de março de 2015

Jorge Loredo, o Zé Bonitinho, morre aos 89 anos

Compartilhar no WhatsApp

Morreu nesta quinta, 26 de março, o humorista Jorge Loredo, conhecido nacionalmente pelo personagem Zé Bonitinho.
Jorge Loredo tinha 89 anos e estava internado desde o início de fevereiro na UTI do Hospital São Lucas, zona sul do Rio. De acordo com um comunicado do hospital,  "Loredo lutava há anos contra uma Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) grave e um Enfisema Pulmonar e, apesar de todos os esforços terapêuticos, não resistiu e, nesta quinta, dia 26, às 5h foi ao óbito devido a uma falência múltipla de órgãos".
Loredo faz parte da  história do SBT desde setembro de 2001, quando ingressou no elenco principal do humorístico “A Praça é Nossa”, no qual sempre encarnou seu o hilário Zé Bonitinho. Sua última participação no programa aconteceu no dia 8 de março de 2012, porém permaneceu funcionário do SBT até esta quinta-feira.
O velório ocorre nesta sexta-feira, 27 de março, a partir das 9h, no Memorial do Carmo, Caju ,no Rio de Janeiro.


HISTÓRIA


Jorge Loredo entrou em cena pela primeira vez como o Zé Bonitinho, um dos personagens mais marcantes do humor brasileiro, em 1960. Os risos do auditório nesta apresentação deixaram o ator contrariado. Para ele, aquele papel seria como um drama e não uma comédia.
Foi necessário Chico Anysio conversar com o amigo para ele perceber que o que havia ocorrido era sinal de um grande sucesso. Depois desse dia, Jorge Loredo deixou de ser conhecido pelo próprio nome e passou a ser chamado de Zé Bonitinho por milhares de brasileiros.
Em uma entrevista ao site do SBT, em 2010, Loredo contou que teve uma infância e uma adolescência difíceis: "Foram muito doentias. Eu tive um machucado na perna que se transformou em uma doença chamada osteomielite, que me perseguiu até os 46 anos de idade". Além disso, o ator teve um problema pulmonar aos 18 anos e fumou dos 12 aos 80 anos.


INÍCIO DA CARREIRA

Antes de virar ator, Loredo trabalhou em um banco e também se formou em Direito: "O chefe do Departamento Pessoal disse para eu procurar um teste vocacional. O resultado foi 'Magistério, diplomacia, tendência a pesquisas e atividades exibicionistas'. Eu perguntei para o psicólogo o que devia fazer. Ele disse para eu procurar uma faculdade de Direito e uma escola de Teatro. Foi o que fiz. Eu me formei em advogado e entrei para escola de teatro".
Como advogado, ele chegou a trabalhar no Sindicato dos Artistas, no Rio de Janeiro, na área de Previdência Social e Direito do Trabalho.


ARTE

Quando se tornou ator, Loredo não sabia que tinha uma veia humorística: "A coisa foi surgindo naturalmente. Quando eu vi, estavam dizendo que eu era engraçado, mas eu não me achava engraçado. Foram as pessoas que descobriram e me falaram", contou.
O ator também costumava falar que duas pessoas tiveram uma influência muito positiva em sua vida: Manoel de Nóbrega Chico Anysio: "Esses dois foram os que me seguraram e me apoiaram. Não estou desmerecendo os demais, mas eles foram os que acreditaram em mim e me deram oportunidade".
Antes de dar vida a Zé Bontinho, Loredo substituiu o ator Borges de Barros em "A Praça da Alegria", que se mudou de São Paulo para o Rio de Janeiro. Foi aí que Jorge Loredo foi convidado por Manoel de Nóbrega para fazer o Mendigo Aristocrata, que era interpretado por Barros: "Ele me deu o roteiro e, como eu já tinha uma educação teatral, fui feliz na criação de um personagem completamente diferente do Borges. Foi através desse personagem que o pessoal da televisão passou a acreditar em mim e os outros personagens surgiram. Eu trabalhava antes na TV, mas em pequenos quadros. Quem me projetou, me deu a primeira oportunidade pra valer foi o Manoel. Aí o Chico Anysio me viu fazendo esse Mendigo e eu disse para ele que tinha um tipo que era o Zé Bonitinho".


ZÉ BONITINHO

No início, o personagem era uma imitação que Jorge Loredo fazia de um amigo seu de adolescência: "Evidentemente, exagerei nos óculos, no pente... O personagem foi surgindo, mas o nome dele era 'Bárbaro'. Eu descobri 'Zé Bonitinho' ao ver um garçom numa churrascaria em que eu estava reclamando da comida. O garçom disse que ia chamar o cozinheiro que era muito metido a bobo e ele disse 'Zé Bonitinho, vem cá'. Quando o cozinheiro chegou, era um cara horrivelmente feio, com um dente só na frente. Comecei a rir e surgiu o apelido de Zé Bonitinho", contou o ator ao site do SBT em 2010.
Na mesma entrevista, Loredo revelou o que sentia quando lembrava que havia alcançado mais de cinco décadas de carreira: "Tem hora que eu não acredito que eu passei por tudo isso. Eu digo 'Pelo amor de Deus! Quanto tempo eu já passei isso!'. E estou aqui até o dia que me for permitido", afirmou.

FAMÍLIA
Jorge Loredo foi pai duas vezes. A primeira vez aos 46 anos e a segunda aos 50.