.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

ASSISTA AO VÍDEO: AÇÃO SOLIDÁRIA RESGATA MÃE DE FAMÍLIA DO MUNDO DAS DROGAS






As mulheres sempre foram vítimas de discriminação. O preconceito social não é diferente quando o assunto é o uso de drogas por mulheres. Uma mulher usuária de drogas é sem sombra de duvidas muito mais discrimina do que os homens. Estas mulheres se tornam vítimas preferenciais de atos violentos, resultado de uma postura preconceituosa. É comum a associação da mulher usuária de drogas a estereótipos como: “se ela se droga ela não se dá ao respeito” e, portanto, não merece ser respeitada.

O uso de drogas é uma questão delicada que deve ser discutida com a sociedade de forma sincera, menos intolerante e sem preconceitos.
       


Na semana que antecede o dia das mães, um simples gesto de amor e solidariedade do Grupo de amigas Caçarolas sem tampa da cidade de Bacabal, mudou a vida algumas mulheres mães usuárias de drogas, antes esquecidas e invisíveis aos olhos da sociedade: São Lígias, Raimundinhas, Anas acolhidas carinhosamente pela “Casa de Débora”, uma Instituição de Resgate como a administradora e Missionária Edcilene gosta de chamar, sem fins lucrativos.
                        
FOTOS DA CASA DE DEBORA.








 “Um caso isolado abriu os nossos olhos para essa realidade”. Fomos procurada por Dona Irene uma mãe desesperada pela recuperação da filha Raimundinha de 26 anos que também é mãe de 6 filhos e teve sua juventude roubado pelo uso do crack.

Raimundinha recebeu além de carinho, um banho de autoestima, o que fez toda a diferença, e toda a assistência e atenção necessária para sua recuperação.
           
FOTOS DA AÇAO




Não podemos nos acostumar com a exclusão social e a desesperança dessas pessoas. Se faz todo o possível para ocultar a responsabilidade dos principais causadores desse mal e se ignora de maneira perversa e desumana o sofrimento causado a essas famílias destruídas por esse vicio.

Queremos com essa Ação dedicar nossa  homenagem a toda mãe que luta para sustentar o filho sozinha, sem o apoio dos pais, ou sem marido; a toda mãe que não receberá flores ou presente . A toda mãe que não recebeu o amor do filho em agradecimento pelo dom da vida que ela lhe deu; a toda mãe que se sente só, abandonada e rejeitada. A você, o nosso amor, a nossa empatia e a nossa reverência.


Apesar de tudo e de todos, você é mãe, doadora da vida e merece todo meu respeito.
Texto: Rosy Saraiva.

Assista a reportagem produzida pela equipe do programa 40 Graus.



Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para falandoseriobacabal@gmail.com ou Whatsapp - (99) 9 8122 - 9873 - Whatsapp (99) 9 8136 - 5088 - Whatsapp (99) 9 8196 - 5959