PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quinta-feira, 16 de julho de 2015

FACADA NO CORAÇÃO CAUSOU MORTE DE VÍTIMA DE LINCHAMENTO NO MA, DIZ IML

Compartilhar no WhatsApp




Laudo do IML foi encaminhado à polícia na quarta-feira (15).
Cledenilson Pereira da Silva, 29, foi espancado até a morte em São Luís.

Cledenilson da Silva, 29, foi despido, amarrado e linchado em São Luís (Foto: Biné Morais / O Estado)
Cledenilson da Silva, 29, despido, amarrado e
linchado em São Luís (Foto: Biné Morais / O Estado)


O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de São Luís encaminhado à Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) na quarta-feira (15) revela que a morte de Cledenilson Pereira da Silva, de 29 anos, foi causada por um facada no coração que ele sofreu durante o linchamento ocorrido no dia 6 deste mês, no Jardim São Cristóvão, após ter tentado assaltar um bar na companhia de um adolescente de 16 anos.

"O filho do dono do bar viu aquela situação e foi até o Cledenilson e o agarrou por trás. A partir daí começou a agressão. Pauladas, garrafadas, socos e aí houve a utilização de uma arma branca tipo faca, que o atingiu na altura do coração próximo também ao pulmão. Segundo o laudo médico, esta foi a causa da morte", contou o delegado Guilherme Sousa Filho, da DHC, na tarde desta quinta-feira (16).

Com base nos depoimentos do adolescente, quatro pessoas estavam no bar escolhido pela dupla como alvo. Após anunciar o assalto, Cledenilson tentou atirar contra uma pessoa no estabelecimento, mas a arma teria falhado. Os dois acabaram dominados pelas pessoas.

Outro laudo importante para a conclusão das investigações é o balístico. O documento vai servir para que a Polícia Civil saber o motivo pelo qual o revólver calibre 38 foi acionado, mas não disparou nenhum tiro. O prazo é de 30 dias a partir do crime.

Segundo o delegado Sousa Filho, por enquanto, cinco já foram identificados como participantes diretos do linchamento, mas o número pode aumentar nos próximos dias. Ele diz que a polícia teve dificuldades para conseguir informações no local do crime.

"Foi muito difícil conversar com os moradores da Rua Coronel Abílio. Eles não quiseram falar, pois são vizinhos e parentes. Havia ali um silêncio total. Então desde a semana passada nos debruçamos sobre as imagens feitas no local (que circularam nas redes sociais) analisamos passo a passo com ajuda da perícia técnica e fomos identificando essas pessoas. Foram fundamentais os três depoimentos prestados pelo adolescente", conta Guilherme.

Suspeito de tentar assaltar bar é linchado no Jd. São Cristóvão, em São Luís (Foto: Biné Morais / O Estado)
Suspeito de tentar assaltar bar é linchado no Jd.
São Cristóvão, em São Luís (Foto: Biné Morais /
O Estado)

Policial filmando e nudez
Em alguns vídeos, é possível ver policiais militares filmando ao lado dos moradores. Os policiais prestaram depoimento e, segundo o delegado, eles explicaram que fizeram as imagens para registrar o crime como fazem em todas as situações, mas, antes, eles constataram que Cledenilson não estava mais vivo.
Na sequência, desamarraram o adolescente o colocando em uma viatura evitando que o linchamento se estendesse ao outro. "Quando eles chegaram ao local, acionaram logo a sirene e foi isso evitou a morte do adolescente", disse.

Outro ponto esclarecido pelo delegado foi que as roupas do Cledenilson não foram retiradas propositalmente. "A necessidade de sobrevivência faz com que as pessoas lutem até o fim de suas forças e o que percebemos ao falar com as testemunhas foi que ele se debateu muito ao lutar com os agressores e foi por isso que a roupa foi saindo do corpo e ele acabou ficando naquele estado de nudez, pois em nenhum depoimento consta que a nudez foi uma ação deliberada dos agressores", concluiu.

Entenda
A Delegacia de Homicídios de São Luís abriu um inquérito para identificar os responsáveis pela morte de Cledenilson Pereira da Silva, de 29 anos, que foi linchado após tentar assaltar um bar na companhia de um adolescente, no dia 6 de julho, no Jardim São Cristóvão, em São Luís.

Ambos foram surpreendidos pela reação dos clientes, que iniciaram luta corporal e dominaram os suspeitos. Cledenilson foi amarrado com uma corda em um poste, onde foi completamente despido e agredido até a morte por populares. Do G1 - MA