.

sábado, 29 de agosto de 2015

10ª AGROFEIRA DE BACABAL RECEBE O PROJETO 'FAZENDO EDUCAÇÃO'



O projeto aborda temas relacionados à febre aftosa, o uso de agrotóxicos e a destinação de embalagens vazias dos produtos agroquímicos

10ª Agrofeira de Bacabal recebe o Projeto Fazendo Educação

O projeto ‘Fazendo Educação’, desenvolvido pela Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), órgão vinculado à Secretaria de Agricultura e Pecuária (SAGRIMA), foi um dos destaques na programação da 10ª Agrofeira de Bacabal.

A equipe de Educação Sanitária da AGED, durante todo o dia desta quinta-feira, desenvolveu o projeto fazendo educação, através de teatro de fantoches e palestras abordando temas relacionados à febre aftosa, o uso correto e seguro dos agrotóxicos e a destinação correta das embalagens vazias dos produtos agroquímicos para 55 alunos do ensino fundamental I Adventista e para 81 alunos da unidade de ensino fundamental, Professor José Vieira Lins, com idades entre 8 e 12 anos.
As escolas receberam pelas mãos dos seus diretores, um kit da InpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) e cartilhas sobre recolhimento de embalagens vazias.
O evento que aconteceu no Recinto de Leilões da Leilonorte foi organizado pelo Sindicato Rural de Bacabal, representado pelo seu presidente, Pedro Lustosa de Souza, que falou da satisfação de contar com a presença da equipe da AGED. “A presença da AGED abrilhantou a nossa Agrofeira, com suas palestras e o teatro, onde o grande enfoque é a oportunidade desses alunos vivenciarem algo que nunca tiveram antes e mesmo sendo ainda crianças, já podem compreender as questões, que são abordadas pela equipe da agência de uma forma lúdica e assim, guardarem na mente para mais tarde, quando adultos, colocarem em prática o que lhes foi ensinado, ” afirmou Pedro Lustosa.


A estudante do ensino fundamental, Professor José Vieira Lins, Lyandra Carolyne Silva de Jesus, de 10 anos, achou interessante a palestra que tratou do uso correto dos agrotóxicos. “Eu nunca tinha ouvido falar de EPI (Equipamento de Proteção Individual) e agora eu sei que ele é muito importante para a preservação da saúde do agricultor”, disse ela. 
Do Jornal Imparcial