,

,
VENHA DESFRUTAR DO QUE HÁ DE MELHOR EM LAZER DA SUA REGIÃO.

.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

POSTOS DE COMBUSTÍVEIS JÁ REPASSAM AUMENTO DA GASOLINA AO CONSUMIDOR

Compartilhar no WhatsApp

Reajuste foi autorizado na noite de terça-feira (29).
Aumento para a gasolina foi de 6% e para o diesel, de 4%.

O reajuste do preço da gasolina e do diesel para as distribuidoras foi anunciado pela Petrobras na noite desta terça-feira (29) e, menos de 24 horas depois, os postos já começavam a aumentar o preço dos combustíveis.

Posto de combustível trocava os preços até do álcool no inicio da tarde desta quarta-feira (30) (Foto: G1)


Na manhã desta quarta-feira (30), o presidente do sindicato dos donos de postos de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Gouveia, havia dito que o repasse era certo e que deveria ser feito até o final desta semana.

"O revendedor vai ter que repassar [o aumento] porque não tem gordura. Até sexta, com certeza. Não vai ter como segurar. Para o dono do posto, o aumento do custo do combustível vai ser de R$ 0,17 [por litro]. Se o dono não quiser aumentar mais, no mínimo vai ter que repassar o custo", afirmou Gouveia.

Postos em São Paulo já reajustavam os preços dos combustíveis. (Foto: Will Soares/G1)

Nesta terça-feira, a petroleira anunciou reajustes nos preços de venda da gasolina e do diesel nas refinarias a partir da 0h desta quarta. O aumento para a gasolina é de 6% e para o diesel, de 4%.

O aumento vem em um momento de crise,  em que a estatal tem de lidar com uma dívida crescente, com a queda dos preços do petróleo e com denúncias de corrupção.

Embora os preços internacionais tenham caído dramaticamente, o enfraquecimento do real contra o dólar neste ano significa que os preços na bomba no Brasil permanecem baixos, segundo a agência Reuters.

O aumento deve dar maior impulso à já elevada inflação do Brasil. O reajuste deve ter impacto direto de cerca de 0,20 ponto percentual no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) já no mês de outubro, segundo analistas ouvidos pelo G1.

Apesar do elemento adicional de pressão na inflação, a avaliação dos economistas é que o indice continuará abaixo do patamar de 10% e tende a iniciar 2016 com maiores chances de retorno para patamares abaixo do teto da meta do Banco Central, de 6,5%.

Reajustes nos estados

Em Rio Branco, o preço médio praticado pela gasolina é de R$ 3,73, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Bicombustíveis (ANP). Portanto, com o aumento, o valor deve chegar à casa R$ 3,93. Já o litro do diesel atualmente é vendido por em torno de R$ 3,48 e deve chegar a R$ 3,63.
O Sindicato do Comércio Varejista e Derivados do Petróleo no Estado de Alagoas (Sindicombustíveis-AL) informou que, embora haja a informação de alguns empresários de que o aumento será, em média, R$ 0,20 para o litro da gasolina e R$ 0,14 para o diesel, não pode precisar o reflexo do reajuste no estado porque isso fica a cargo dos empresários. A maioria dos gerentes dos postos de combustíveis que a reportagem entrevistou não soube ainda precisar o aumento.

Os postos de combustíveis do Amapá deverão reajustar os preços da gasolina e do diesel,  informou Rodrigo Utzig, presidente do Sindicato dos Revendedores de Biocombustíveis no estado (Sindipostos). Ele explicou ainda que não há data prevista para que o aumento seja repassado ao consumidor, mas que o valor mínino deverá ser de R$ 0,30 para a gasolina e R$ 0,15 para o diesel.

Após anúncio da Petrobras no reajuste nos preços de venda de combustíveis, o G1 percorreu postos em Salvador e observou que até o final da manhã desta quarta-feira (30), o aumento de 6% ainda não havia sido aplicado.

O preço dos combustíveis sofrerá um aumento a partir desta quarta-feira (30) em todo o Pará. O preço médio do litro da gasolina comum comercializado em Belém era de R$ 3,390. O menor preço encontrado por litro foi de R$ 3,280 e o maior foi de R$ 3,499.

O reajuste nos preços de venda da gasolina e do diesel anunciado pela Petrobras na terça-feira (29), já está pesando no bolso dos consumidores de Maringá, no norte do Paraná. Proprietários de postos de combustíveis admitem que o valor gasolina na cidade deve ter um acréscimo de R$ 0,20 e do diesel R$ 0,11.

Com base nos cálculos da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a gasolina que em média custa R$ 3,14 na capital piauiense poderá chegar a R$ 3,39. Já o preço do diesel pode saltar de R$ 2,89 para R$ 3,04. O tesoureiro do sindicato José Couto explicou que, diferente dos aumentos anteriores, desta vez o reajuste foi da própria Petrobras por dívidas em dólar. As seis distribuidoras existentes na cidade aguardam resposta das empresas responsáveis para realizar a alteração.

O preço do litro da gasolina nos postos de combustíveis de Rondônia deve aumentar cerca de R$ 0,20, segundo cálculo é do Sindicato do Comércio Varejista dos Derivados de Petróleo do estado (Sindipetro-RO). O repasse para o consumidor final deveria acontecer a partir de quinta-feira (1º), mas alguns postos já reajustaram os valores.

Pouco menos de 12 horas depois do anúncio da Petrobras de reajuste de combustíveis nas refinarias, alguns postos de Porto Alegre já aumentaram os valores nas bombas nesta quarta-feira (30). Em nove postos visitados pela reportagem do G1 nas avenidas Ipiranga, José de Alencar e Praia de Belas, três deles já elevaram os preços dos combustíveis.

São Paulo
Em Campinas, no interior de São Paulo, o vice-presidente do sindicato que representa o comércio varejista de derivados do petróleo em municípios da região (Recap), Emílio Martins, disse que a previsão é de que o litro da gasolina seja elevado entre R$ 0,15 e R$ 0,17 nas bombas da cidade, enquanto que o mesmo volume de diesel deve subir de R$ 0,10 a R$ 0,11.

"Todas as distribuidoras reajustaram os preços e os postos já recebem os combustíveis com preços novos. Com isso, alguns devem começar a repassar [aumento] hoje, outros amanhã. Vai depender de estoques e concorrência".
O aumento de 6% no preço da gasolina e 4% no do óleo diesel nas refinarias também terá impacto para os motoristas da região noroeste paulista.
De acordo com o economista Hipólito Martins Filho, de Rio Preto, ao acrescentar 6% em cima do preço atual da gasolina, que é de R$ 3,29, ela subirá para R$ 3,48. Com isso, o tanque cheio hoje que é de R$ 148,05 vai para R$156,60. Assim, o gasto anual com o abastecimento de gasolina para o motorista que roda cerca de 20 quilômetros por dia, até o momento, chegaria em média a R$ 2.401,70 e com o aumento este gasto anual subirá para R$ 2.540,40. Uma diferença de R$ 138,70 no ano.


Aumentos anteriores
Em novembro de 2014, a Petrobras já havia aumentado o preço de venda nas refinarias da gasolina e do diesel, com altas de 3% e 5%, respectivamente. Em janeiro de 2015, a tributação incidente sobre a gasolina e o diesel também foi elevada, conforme o decreto presidencial 8.395, publicado no "Diário Oficial da União".
O aumento foi repassado ao consumidor pelos postos de gasolina. De acordo com o Fisco, o impacto do aumento seria de R$ 0,22 por litro para a gasolina e de R$ 0,15 para o diesel. Porém, o aumento variou em postos diferentes.
Em agosto, a Petrobras anunciou também aumento do preço do gás de cozinha - o gás liquefeito de petróleo para uso residencial, envasado em botijões de até 13 kg (GLP P-13). A alta média anunciada foi de 15%.