PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

DETALHES DA OPERAÇÃO QUE CULMINOU COM A PRISÃO DE EX-PREFEITO E ASSESSORES EM BACABAL SÃO DIVULGADAS PELA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA

Compartilhar no WhatsApp




A Secretaria de Segurança Pública, por intermédio da Polícia Civil, apresentou, na manhã desta quarta-feira (18), no Auditório Leofredo Ramos, um grupo de sete pessoas envolvidas com a agiotagem na prefeitura de Bacabal. O grupo foi preso pela Superintendência de Combate à Corrupção (SECOR) em parceria com o Ministério Público em continuidade à operação designada “ELBERITE”. Além da prefeitura de Bacabal o grupo é envolvido com fraudes em outras prefeituras, o que já causou prejuízos da ordem de 100 milhões de reais.
DSC_1752

Os suspeitos foram presos na madrugada desta quarta-feira (18), em suas próprias residências por força de mandados do juiz da Comarca de Bacabal. Foram presos Josival Cavalcante, conhecido por “Pacovam”; a sua esposa Edna Pereira; Eduardo José Barros Costa, o “Imperador”; o ex- secretário municipal de Bacabal, Aldo Araújo de Brito; o ex-tesoureiro de Bacabal, Gilberto Ferreira e, ainda, o ex-prefeito Raimundo Lisboa. Os suspeitos são envolvidos em um esquema de agiotagem que envolve desvios de cerca de quatro milhões e meio de reais da prefeitura.

Engenharia Criminosa
20151118_110725_resized

Na coletiva estavam presentes o secretário de segurança Jefferson Portela, o promotor de Justiça Marco Aurélio, e o promotor Marcos Valentin Paixão, o delegado Geral Augusto Barros, o superintendente da Secor Lawrence Pereira e, ainda, o delegado Roberto Wagner. O Secretário de Segurança Pública Jefferson Portela, durante a coletiva na SSP, disse que hoje o Estado do Maranhão conta com a Superintendência de Combate a Corrupção, criada através de projeto de lei do Governo Flavio Dino e que mostra resultados no combate efetivo a todos aqueles que desviam recursos públicos. Há um avanço na luta contra a engenharia criminosa que desvia recursos públicos no estado, isto é claro, porque além das prisões, continuam as investigações para recuperar o dinheiro que foi desviado dos órgãos públicos do nosso estado. Os prefeitos estabelecem um canal de relacionamento com agiotas que emprestam dinheiro a juros, e quando eles vão pagar o que o agiota emprestou, eles não pagam com seu dinheiro particular, inventam uma engenharia criminosa e passam a fazer pagamentos com o dinheiro público.
“Os presos pela operação Elberite já deram um prejuízo de cerca de 100 milhões de reais aos cofres públicos, dinheiro este oriundo de desvios da merenda escolar e da saúde dos municípios maranhenses. Serão ainda instalados diversos procedimentos para cuidar dos mais de 40 inquéritos que envolvem as prefeituras maranhenses e ainda serão inclusos outros inquéritos sobre desvios de recursos”, explanou o secretário de segurança.
Operação Conjunta contra a agiotagem
DSC_1750

De acordo com o Superintendente da SECOR, Lawrence Pereira, a operação em conjunto com o Ministério Público Estadual por meio do Grupo de Combate ao Crime Organizado (GAECO), os presos já vinham sendo investigados por desvios dos recursos públicos junto ás prefeituras maranhenses. O delegado Lawrence Pereira, realizou um balanço sobre o esquema de agiotagem na cidade de Bacabal e disse que, além deles, outro envolvido nesse crime de agiotagem já está preso, o Gláucio Alencar, envolvido na morte do jornalista Décio Sá. O crime contra o jornalista e blogueiro, aconteceu no dia 23 de abril de 2012, justamente por ele ter denunciado o crime de agiotagem no Maranhão.
Em posse de Gláucio Alencar foram encontrados dois cofres contendo diversos documentos e cheques de prefeituras. Nessas investigações, foi descoberta toda uma rede de agiotagem que operava no Estado. As prefeituras faziam uma licitação fraudulenta com diversas empresas que tinham como proprietários “Laranjas”, sendo que os verdadeiros donos das empresas fazem parte da quadrilha presa e apresentada hoje pela polícia Civil. “Com esta operação estamos estancando a sangria aos órgãos públicos. Trabalhamos firmes no combate à corrupção no foco contra a criminalidade, principalmente contra o crime organizado”, completou o superintendente da Secor.
DSC_1758

O Promotor de Justiça Marco Aurélio ponderou que o Ministério Público em parceria com a Secretária de Segurança Pública, vem trabalhando no sentido de combater a corrupção no estado, reunindo forças distintas, mas tendo o mesmo objetivo de combater a corrupção e a agiotagem nas prefeituras de diversos municípios maranhenses. “A parceria entre a GAECO e a SECOR visa combater o crime de corrupção e a agiotagem. Esta é a primeira ação penal que colocamos na Justiça, onde foram denunciados 17 pessoas por associação criminosa e desvios de recursos públicos e ainda por licitações criminosas efetuadas em municípios maranhenses. Estamos dando uma resposta aos inquéritos que estão em trâmite por denuncias de agiotagem em todo o Maranhão. As investigações continuarão para que todas as denúncias sejam concluídas” finalizou o promotor de Justiça.
Mauro Wagner e Isadora Fonseca / ASCOM SSP