PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL DESMONTA LABORATÓRIO DE BEBIDA FALSIFICADA

Compartilhar no WhatsApp


IMG_7265

Operação deflagrada pelas Polícias Civil e Militar na tarde desta sexta-feira (04), resultou na apreensão de armas brancas, drogas, veículos e ainda na apreensão de mais de 1.000 garrafas de whisky falsificado que era produzido em uma residência no bairro do Sá Viana. Foram detidos suspeitos envolvidos no crime e encaminhados para a delegacia do Coroadinho para serem ouvidos pelo delegado titular.
Participaram da Operação a Superintendência de Polícia Civil da Capital, a Supervisão de Área Integrada de Segurança Pública do Itaqui Bacanga, a Unidade de Segurança Comunitária e uma equipe da SMTT.
Cerca de 80 policiais e seis delegados abordaram veículos, bares e transeuntes, no propósito de identificar e prender suspeitos de estarem portando armas de fogo e entorpecentes. Diversos deles foram conduzidos para o DP do Coroadinho para  averiguação. Esses já tinham passagens pela polícia por roubos e assaltos, mas não tinham mandados de prisão.
O Superintendente da SPCC Armando Pacheco e os delegados, Jose Antônio Sobrinho, Elson Ramos, Marco Antônio, Henrique Mesquita e o Cel. Araújo, que ajudou com a presença de 30 policiais militares, esclareceram que a operação teve a finalidade de impor a presença da polícia nas ruas, garantindo maior segurança na região. Foram fechadas as duas entradas do Coroadinho e realizadas incursões em diversas ruas dos bairros. Veículos e pedestres foram revistados na busca de armas e entorpecentes.
O Superintendente da SPCC, Armando Pacheco informou que a operação tem o sentido de fazer visitas surpresas em bairros da capital, com objetivo de flagrar condutas criminosas e apreender armas e entorpecentes. Ele sinalizou que “iremos fiscalizar os bares e abordar veículos, ciclistas e transeuntes, no intuito de pacificar estas áreas. A operação concorre para que os homicídios diminuam cada vez mais”, disse o delegado Pacheco.
Laboratório de bebidas desbaratadoIMG_7269
Uma equipe da Polícia Civil, coordenada pelo delegado Joelson Ramos, já vinha investigando, em decorrência de diversas denúncias, uma residência localizada no bairro do Sá Viana, onde adulteravam bebidas. Durante a operação em curso no Bairro do Coroadinho, por volta das 15h, os policiais resolveram fazer campana nas proximidades do imóvel. Os investigadores interceptaram um suspeito saindo do interior da casa com duas caixas, e descobriram a bebida falsificada. Foi feito uma revista e encontrada diversas garrafas de bebidas de whisky falsificada, entre as marcas estavamJohnnie Walker, Chivas, Old Parr e ainda as vodcas Absolut e Skyy. O ancião identificado por Luís Carlos Guimarães Carneiro, conhecido como “Pneu”, 70 anos, foi detido com outros familiares e ao ser questionado, disse que o material seria dele e que assumia toda a responsabilidade. Ele informou ás autoridades que “Eu pratico isso a mais de 50 anos e nunca ninguém me incomodava. Eu adultero a bebida usando bebidas mais baratas. Eu uso vodca e adiciono outro whisky de qualidade inferior, para que disfarce o sabor. Eu faço isso porque muitas pessoas me procuram pra comprar o meu produto. Eu vendo a bebida entre R$ 25 e R$ 35 reais”, confessou pneu. O suspeito ainda usava caixas das bebidas que tinham a aparência de serem originais e finalizava com selos falsificados, para que o golpe não fosse descoberto, ponderou o superintendente.
Objetos apreendidos por procedência suspeita
Durante a revista, foi encontrada depois, outra residência ao lado, mais ampla e luxuosa a qual pertencia á filha do suspeito Luís Carlos, o pneu. No local foram encontradas cerca de 1.000 garrafas prontas para a comercialização clandestina, uma pequena quantidade em dinheiro e diversos selos falsificados. No quarto do neto do ancião, que confessou estar desempregado e apenas estudando, objetos de marcas famosas, que não condiziam com a realidade da condição financeira dele foram encontrados. O delegado afirmou que todo o material seria apreendido e investigado para descobrir se tem procedência lícita.
O ancião, ao perceber que a segunda residência fora descoberta, conseguiu se evadir do local. Foram feitas abordagens pelas proximidades, mas ele ainda não teria sido encontrado. O delegado Armando Pacheco disse, ainda, que todos seriam levados para a delegacia no sentido de investigar a participação de cada um, pois acha impossível que Luís Carlos conduza a ação criminosa sozinho.
Após o material ser apreendido foi encaminhado para o Icrim, os suspeitos foram conduzidos para a delegacia do Coroadinho, para serem ouvidas pelo delegado Tinoco.
A operação de varredura realizada no bairro e adjacências continuou até o início da noite, para dar tranquilidade e inibir e coibir a criminalidade na região.
Mauro Wagner / Ascom SSP