PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

sábado, 20 de fevereiro de 2016

SUSPEITOS DE MATAR PROFESSOR NA CIDADE DE COROATÁ SÃO PRESOS PELA POLÍCIA CIVIL

Compartilhar no WhatsApp

IMG_2155


Uma ação conjunta entre a Polícias Civil e Militar, coordenada pelo Delegado da cidade de Coroatá, Daniel Igor Nina Moura, conseguiu prender, na manhã desta quinta-feira (18) e na manhã desta sexta-feira (19), Maycon Mesquita de Melo, de 19 anos, Raimundo Nonato Pereira da Silva, de 18 anos e Lucas dos Santos Almeida, de 18 anos, suspeitos de cometer latrocínio que vitimou o professor Leonel Pereira, de 25 anos, na quarta-feira (17), na cidade de Coroatá
De acordo com o delegado Daniel, crime ocorreu enquanto a vítima chegava na residência de sua namorada, no bairro Trizidela. Ao ser anunciado o assalto, Leonel estava em uma motocicleta, a vítima reagiu e foi alvejado com vários disparos de arma de fogo, vindo a falecer no local.
Após o crime, uma operação foi montada para elucidar o crime. Foram realizadas diligencias em toda a cidade. Contudo, Maycon e Raimundo foram encontrados na manhã da quinta-feira no mesmo bairro onde ocorreu o crime. Já a prisão de Lucas foi realizada na manhã desta sexta-feira. Os três suspeitos não ofereceram resistência à prisão.
Devido à crueldade e revolta de populares, e para preservação da ordem pública e a garantia da integridade dos envolvidos, os suspeitos foram levados à Delegacia Regional de Codó, onde foram autuados pelo crime de latrocínio, roubo seguido de morte.
Os envolvidos foram apresentados na Superintendência da Polícia Civil do Interior, em São Luís, onde foram dadas mais informações sobre o crime. Logo serão encaminhados ao Centro de Triagem de Pedrinhas, onde deverão aguardar as decisões do poder judiciário.
De acordo com o Superintendente da Polícia Civil do Interior, essas ações mostram a importância da integração entre as polícias do estado. “ A polícia civil no interior vem de maneira árdua combatendo os crimes, com intuito de manter a organização e o clima de tranquilidade da sociedade”, disse Dicival Gonçalves.
Fernando Costa/ASCOM SSP