.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Sem salários, vigilantes do Estado vão continuar de braços cruzados


Trabalhadores estiveram reunidos na sede do Sindicato Dos Vigilantes Maranhão Sindvig-MA
Trabalhadores estiveram reunidos na sede do Sindicato Dos Vigilantes Maranhão Sindvig-MA
Vigilantes que prestam serviços para a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e Uema decidiram manter a greve com as empresas que não estão cumprindo com o pagamento dos salários atrasados.
Mesmo com o governo tendo pago e a Seduc repassando recursos para as seguintes empresas: Alerta, Atlântica, Cefor, Clasi, Mas, Ostensiva, Potencial , SH e Vip, elas alegam que o dinheiro não é suficiente para pagar os trabalhadores. A Coltbrasil e a Newserv não apresentaram as certidões para garantir seus repasses. Já a empresa Mafra teve o repasse bloqueado pela justiça.
Vigilantes da Potencial que trabalham na Univima nos pólos do interior do Estado como, Caxias, Codó, Pedreiras, Pinheiro, Santa Inês, Barra do Corda, Açailândia, Brejo e outros, não receberam sequer a segunda parcela do décimo terceiro salário. Eles denunciam também que sofrem ameaças e temem retaliações.
Mas os profissionais que já declaram greve desde a semana passada avisam que se os salários não forem pagos ainda hoje (2), todos irão acampar na portas das empresas.