.

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

PRESOS RENDEM AGENTES E FOGEM PELA PORTA DA FRENTE DE PRESÍDIO NO MA



Fuga aconteceu na CCPJ da Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.
Presos armados fingiram necessitar de atendimento médico para fugir.

Fachada do Complexo Penitenciário de Pedrinhas (Foto: César Hipólito/TV Mirante)
Fachada do Complexo Penitenciário de Pedrinhas (Foto: César Hipólito/TV Mirante)

Dois presos fugiram da Central de Custódia de resos de Justiça (CCPJ) do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. Ao G1, um funcionário do presídio, que preferiu não se identificar, revelou que os internos renderam os agentes penitenciários e ainda teriam tomado à arma de um vigilante terceirizado. Os dois fugiram pela porta da frente do presídio.

Ainda de acordo com o servidor, os presos estavam no Bloco B da unidade prisional, quando, por volta das 14h30, solicitaram atendimento médico, e, ao serem levados à enfermaria renderam os auxiliares penitenciários e o vigilante.

A Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária confirmou as informações e informou que acompanha as investigações sobre o procedimento de segurança para apurar as responsabilidades e tomar as providências necessárias.

Os detentos foram identificados como Hailton Silva e Fagner Gomes Sena, ambos da área da liberdade e membros de uma facção criminosa que atua na capital.

Tentativa de resgate


Na madrugada de domingo (11), três homens foram mortos em confronto com a polícia, quando planejavam uma tentativa de resgate de presos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. O Serviço de Inteligência (SI) da PM descobriu o plano e interceptou os suspeitos, que estavam em uma residência no povoado Camboa dos Frades, na Vila Maranhão, próximo à BR-135, onde fica o presídio.

Resgate de presos


Em abril deste ano, quatro presos foram resgatados do Centro de Detenção Provisória (CDP)de Pedrinhas por oito homens armados. Eles aproveitaram uma falha na cerca elétrica do muro e usaram uma corda e uma escada para fugir, com a escolta do grupo armado, que atiravam com fuzis contra as guaritas de segurança.


A falha havia sido causada por outra fuga, registrada em setembro de 2014, quando homens roubaram uma caçamba e bateram contra o muro do CDP, abrindo um buraco no muro que deu fuga a seis presos.

video