quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

UM ANO DE PROJETO "LUTA PELA VIDA"

Compartilhar no WhatsApp

Desenvolvido pela Polícia Civil do Maranhão por intermédio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais SEIC (Bairro de Fátima), o projeto completa 1 ano, e é realizado na própria comunidade. É coordenado pelos policiais civis da SEIC e professores Diego Morais (Judô) e Fábio Nogueira (jiu-jitsu), e apoiado pelo delegado Luís Jorge e o superintendente Tiago Bardal. O projeto atende em média 80 jovens, entre crianças e adolescentes de 6 a 18 anos.

O projeto social “LUTA PELA VIDA” Surge na necessidade da inclusão social e tem como objetivo maior formar cidadãos através das artes marciais. A Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), por intermédio do Grupo de Resposta Tática (GRT), desenvolveu o projeto social para a comunidade do bairro de Fátima, em São Luís, no intuito de contribuir para a formação de crianças e adolescentes por meio das artes marciais: Judô e Jiu-Jitsu. Visando ensinar valores morais adquiridos através do esporte à comunidade, o projeto tem objetivo principal de educar e formar essa geração mais nova, com determinação, respeito e disciplina, permitindo que eles disseminem uma cultura e paz. É desenvolvido por policiais civis que consiste em aulas totalmente gratuitas, realizadas de segunda a sexta nos períodos da manhã, tarde e noite no fundo da Superintendência.


Historicamente, o Judô e o Jiu-Jitsu são artes praticamente irmãs. Em geral, praticamente todas as técnicas de finalizações existentes no BJJ- brazilian jiu jitsu encontram-se no catálogo de técnicas do Judô. Entretanto, nenhuma arte no mundo desenvolveu tão bem a movimentação e a quantidade de variações das mesmas técnicas de solo quanto o BJJ-brazilian jiu jitsu.