segunda-feira, 21 de maio de 2018

ASSISTA: DUPLA É DETIDA TENTANDO SACAR DINHEIRO COM DOCUMENTOS FALSOS EM AGENCIA BANCÁRIA EM BACABAL

Compartilhar no WhatsApp


Em uma operação do SI (Serviço de Inteligência) da Polícia Militar do 15º Batalhão de Bacabal com o apoio da guarnição da Rádio Patrulha comandada pelo Subtenente Genilson, foram conduzidos Luiz Carlos Cantanhede Rodrigues, 29 anos de idade, que com ele foi encontrado uma identidade falsa com o nome de Marcos Aurélio Bastos Souza, e outro conduzido Fernando Christian da Silva Veiga, 23 anos de idade.

No momento que avistaram a Guarnição Policial na agência bancária, eles correram para dentro do banheiro e tentaram jogar algumas documentações no vaso sanitário, mas a equipe foi mais rápida.

De acordo com as informações da polícia, Luiz Carlos e um terceiro indivíduo que foi identificado até o momento como “Bruno”, todos residentes em nossa capital São Luís, estariam praticando o crime estelionato. Luiz Carlos e Fernando Christian foram agarrados na Agencia do Banco do Brasil no centro de Bacabal, tentando efetuar um saque do Governo Federal, oriundo do caixa escolar da Escola Urbano Santos.

Há três meses atrás eles teriam realizado um saque no valor de R$ 16.000,00 (Dezesseis mil reais) em nome de uma outra escola aqui de Bacabal.
Pesando que iriam se dá bem novamente, os mesmos retornaram para realizar outro saque, mas o caso já estava sobre a investigação do Serviço de Inteligência que fez a abordagem da dupla dentro da agência.


Com os mesmos foram encontradas várias documentações que caracterizam a veracidade do crime. Além de várias xerox de cheque que comprovam o saque feito por eles. A gerência do Banco do Brasil já tinha entrado com ação judicial contra Luiz Carlos.  

Já o outro conduzido, Fernando Christian da Silva Veiga, alegou que “Bruno” e Luiz Carlos, aproveitaram de sua fragilidade, já que ele se encontra com a esposa gravida e desempregado. Para nossa equipe, ele relatou que entrou na história como Professor de Educação Física e que ganharia R$ 1.700,00 (Mil e setecentos reais) para passar por professor e gerenciar a empresa de Luiz Carlos em nossa cidade. Indagado se tinha formação, o mesmo disse que um professor graduado assignaria por ele.

Luiz Carlos não relatou a nossa equipe como teria conseguido todas essas documentações.  

Os dois foram apresentados na Delegacia do 1º Distrito Policial e ficaram à disposição do delegado.

Assista a reportagem produzida por Railson Ferreira e Ravely Vieira.