sexta-feira, 22 de junho de 2018

ASSISTA UMA ENTREVISTA COM O PSICÓLOGO JESAIAS SILAS SOBRE DEPRESSÃO: O QUE LEVA UMA PESSOA A TIRAR A PRÓPRIA VIDA.

Compartilhar no WhatsApp

Ultimamente em Bacabal os números de suicídios vêm crescendo de forma assustadora. Só para se ter uma ideia, até o fechamento dessa matéria três casos foram registrados em menos de 10 dias em nosso município.

O primeiro aconteceu na madrugada do dia 11 de junho, na Avenida Dom Bosco, no bairro do novo Bacabal, onde Rafael Alves Arouche de 26 anos de idade, acabou tirando a própria vida.

O segundo caso, aconteceu na noite do dia 18 de junho, na Rua São Domingos, bairro da Vila Coelho Dias, a idosa de 84 anos, Maria do Espírito Santo, também recorreu ao suicídio.

O terceiro caso, como os outros, também chocou a todos. Jecylenne Pereira Santos, uma linda jovem de apenas 18 anos, com uma vida toda pela frente, alegre e extrovertida, tirou a própria vida na noite da última quarta-feira (20), na Rua Filomeno Parga, no bairro da Esperança.


Ultimamente em Bacabal os números de suicídios vêm crescendo de forma assustadora. Só para se ter uma ideia, até o fechamento dessa matéria três casos foram registrados em menos de 10 dias em nosso município.
O primeiro aconteceu na madrugada do dia 11 de junho, na Avenida Dom Bosco, no bairro do novo Bacabal, onde Rafael Alves Arouche de 26 anos de idade, acabou tirando a própria vida.

O segundo caso, aconteceu na noite do dia 18 de junho, na Rua São Domingos, bairro da Vila Coelho Dias, a idosa de 84 anos, Maria do Espírito Santo, também recorreu ao suicídio.

O terceiro caso, como os outros, também chocou a todos. Jecylenne Pereira Santos, uma linda jovem de apenas 18 anos, com uma vida toda pela frente, alegre e extrovertida, tirou a própria vida na noite da última quarta-feira (20), na Rua Filomeno Parga, no bairro da Esperança.

Nós entrevistamos o Psicólogo Jesaías Silas da Silva, que fala sobre essa doença que de acordo com OMS (Organização Mundial de Saúde), até 2020 a depressão será a principal doença mais incapacitante em todo o mundo. Atualmente, mais de 120 milhões de pessoas sofrem com a depressão no mundo – estima-se que só no Brasil, são 17 milhões. E cerca de 850 mil pessoas morrem, por ano, em decorrência da doença.

Fica a pergunta: Porque uma pessoa acaba tirando a própria vida?!

Segundo o Psicólogo, é muito importante se trabalhar esse caso, não somente no Brasil mais no mundo. A depressão é uma doença ou também pode ser parte de uma outra doença.
Ele disse ainda que; “Quando alguém tem um pensamento, a ideia de se matar ou fica pensando como faria. Quando alguém tem uma ideia de que morrer é melhor do que viver ou quando alguém tem uma ideia de que preferiria não existir mais, eu preferia que Deus levasse. Precisa buscar ajuda! Todos esses pensamentos são característicos de depressão, de ideias Suicidas.

Repórter André Luís: Dr. Atualmente 120 milhões de pessoas sofrem com a depressão em todo mundo. Aqui no brasil estima-se que são 17 milhões e cerca de 850 mil pessoas que acabam tirando a vida por conta dessa doença, sobre esses dados eles são verdadeiros?

Psicólogo Jesaías: Sobre esses números citados em reportagens, esses números são estimativas, afinal as pessoas elas se escondem, elas tendem a se isolar e não reportar casos de depressão. A tendência de alguém que passa por isso, é não querer ter o contato e nem que as outras pessoas saibam que ela está passando por isso. Mas quando a gente fala em suicídio a gente precisa incluir também outros comportamentos de perigo, né. Aqueles em que a pessoa se coloca diante do perigo como por exemplo; alguém que bebe demais e sai dirigindo. Essa pessoa está se colocando no comportamento de perigo pessoal, isso não é tão diferente de alguém que recorre a um enforcamento, né. A pessoa está se colocando em perigo, é uma forma de suicídio. A pessoa sair dirigindo sem controle, é se colocar em situações de perigo, são indicativas. Então esses dados, eles por vezes, não são incluídos nas taxas de depressão e suicídio.
Por conta da própria característica do funcionamento da depressão e dos orçamentos dos Pensamentos Suicidas, eles são muito camuflados.

Repórter André Luís: Muitas das vezes a gente estranha quando vem a notícia de que aquela pessoa que era tão alegre, se mata. Quer dizer, ela nunca deixou transparecer que estava com a doença, sempre bem alegre, brincalhona, e de repente, acaba pegando todo mundo de surpresa?

Psicólogo Jesaías: Na maioria dos casos, as pessoas que têm depressão, elas não mostram para a sociedade, não mostra para os seus amigos que estão com aquela doença. Às vezes tem vergonha de dizer, e na maioria dos casos também se mostram pessoas alegres, pessoas extrovertidas. Mas que por dentro estão sofrendo muito com a doença, e até mesmo, muitas pessoas acabam se impressionando quando essa pessoa acaba tirando a própria vida.

Existe vários casos em que a doença se camufla, exemplo: uma pessoa que tá na trajetória de vida, tá indo bem, de repente acontece alguma perda. Na maioria dos casos de depressão, eles são iniciados por perdas significativas, como pôr exemplo; a pessoa terminou um relacionamento no divórcio ou perdeu um parente querido ou então a pessoa acaba virando a sua própria vida”.
Então todos esses casos são extremamente importantes que a pessoa busque ajuda. Ajuda dos amigos, familiar e de um profissional da área. Afinal, uma pessoa que está com pensamento suicida, ela não está no perfeito estado de funcionamento, o balanço químico das substâncias do cérebro não está bem regulado. Então é como que despertasse no funcionamento do organismo daquela pessoa, um instinto de autodestruição. Por isso, é importante que as pessoas saibam que quando alguém tá assim, ela não tá pensando isso porque quer ou porque é fraca, ela tá pensando isso porque o organismo dela está desregulado. 
Todos nós, já tivemos algum tipo de experiência do que acontece quando nosso organismo está desregulado como por exemplo; no caso de febre, no caso de uma doença, a pessoa de repente ela perde o prazer ou alergia para fazer as coisas, né. É só mais um resumo comparativo. É que acontece quando alguém estava na situação de pressão, ela perde aquele medo de viver, de sair, de fazer aquilo que lhe agrada, né. Então, esses vão buscar ajuda, especialmente ajuda profissional é muito importante.

Hoje existem profissionais no campo da psiquiatria, médicos como psicólogos, cujo trabalho causa uma mudança tremenda na maneira da pessoa funcionar.

Algumas pessoas têm preconceito, como por exemplo; a questão de buscar ajuda. Mas nós buscamos ajuda quando estamos com febre, por exemplo. Buscamos ajuda quando, por exemplo, precisamos consertar a casa. Porque não buscar ajuda quando precisamos ajustar alguma coisa dentro de nós. Não precisava ter vergonha por conta disso. Então ajuda profissional, ela é de extremo valor total.  

Repórter André: Aquela pessoa que está com pensamento suicida, como ela deve evitar esse pensamento de tirar a sua própria vida? E também, como a família pode ajudar essa pessoa?

Psicólogo Jesaías: A primeira coisa, a pessoa passa indo buscar ajuda. Muito importante se a pessoa puder contar com amigos próximos e familiares para compartilhar o que tá havendo, qual o sentimento que se passa no seu coração. Isso já é o ponto inicial. Aceitar ajuda das pessoas e ajuda profissional. O segundo passo é por parte da família. 
A família ao perceber que o seu parente está se comportando de maneira muito isolada, então a família precisa buscar ajuda também para essa pessoa. Bom, existe alguma coisa que a família pode fazer, além de buscar ajuda, não culpar pessoa. Achar que a pessoa está sendo fraca. Isso só piora o quadro. Existem várias medidas que podem ser tomadas.

Às vezes as pessoas recorrem ao suicídio porque acham que aquele vai ser um caminho para resolver os problemas, para acabar com todo aquele sofrimento. Mas é muito importante que todo mundo saiba de que você pode encerrar com esse sofrimento de outras maneiras. Caso você busque ajuda, você pode retomar a um padrão de vida, onde a Felicidade faz parte, de outras formas, buscando ajuda. Então, lembrasse de que existe outros meios é uma proteção contra o pensamento suicida. às famílias, as pessoas podem buscar esse tipo de ajuda e retomar de novo a felicidade, ao prazer nas coisas, na vida e vale a pena a gente enfrentar esse momento, passar por é ele e depois de ter passado, poder compartilhar com outros que já passaram, que estão passando por esse sentimento compartilhado de que é possível Vencer é possível enfrentar e de novo recobrar o estilo de vida mais saudável.

Assista a reportagem na integra produzida pelo Repórter André Luís.