,

,
VENHA DESFRUTAR DO QUE HÁ DE MELHOR EM LAZER DA SUA REGIÃO.

.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

ATÉ QUANDO? FAMÍLIAS SOFREM COM MAIS UM ADIAMENTO DE JÚRI POPULAR EM BACABAL

Compartilhar no WhatsApp

O júri popular de Ricardo Silva Carvalho acusado de tirar a vida da ex-companheira Glaucyvanda Sousa Costa de 18 anos foi adiado mais uma vez. Desta vez, o motivo alegado foi que o defensor do réu, não teve acesso ao processo do caso em tampo hábil, e por isso o júri foi adiado para dia 30 de abril de 2015, no salão do júri da comarca de Bacabal.

O júri do acusado era para ter acontecido no dia 24 de fevereiro de 2015, mas, foi adiando devido ao não comparecimento do advogado de defesa do réu, e de Ricardo, já que a penitenciária aonde ele esta preso na cidade de Coroatá, alegou que a viatura não tinha gasolina para realizar a viagem até Bacabal e outra viatura estava quebrada, além de armamento adequado para realizar a escolta do preso até a cidade de Bacabal.
A não realização do júri mais uma vez, causou ainda mais indignação e tristeza à família da vítima. Glecyane Sousa Costa, irmã da vítima disse a nossa reportagem falando que mesmo assim saiu confiante de que um dia esse júri vai acontecer e que finalmente possa ser no dia 30 abril e que Ricardo seja condenado, para que a justiça dos homens seja feita. Porque a de Deus eles tem a certeza de não falhará.
O júri será presidido pelo juiz da 4ª João Paulo. O crime aconteceu por volta das 21h de sexta-feira dia 30 de agosto de 2013, na Rua José Bonifácio em Bacabal. O acusado tinha acabado de chegar a sua casa com a vítima, ao descer da garupa da moto Biz, vermelha, de placa HPU 9898, pilotada por Ricardo. Ele desferiu com uma faca, sete golpes em Glaucyvanda, que no momento estava com o filho do casal no colo, uma criança de um ano e sete meses. A jovem a todo o momento pedia para que não fosse morta, pois o amava muito, mas mesmo estas palavras não conseguiram sessar o ataque de Ricardo. O acusado já tinha enviado várias mensagens para o celular da vítima.

Ricardo foi localizado em um posto de gasolina, aonde aguardava um carro para empreender fuga, mas foi preso por volta das 11h da manhã do dia 31, na cidade de Olho D’Água das Cunhãs, por uma equipe composta pelos Tenentes: Araújo e Nóbrega e ainda Sargento Portela e Cabo Do Vale.