,

,
VENHA DESFRUTAR DO QUE HÁ DE MELHOR EM LAZER DA SUA REGIÃO.

.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

GOVERNO ADMITE HIPÓTESE DE CONTÁGIO DO ZIKA VÍRUS PELA SALIVA

Compartilhar no WhatsApp




O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, que assumiu também a condição de porta-voz do governo para assuntos relacionados ao zika vírus, confirmou que pesquisadores brasileiros, a exemplo de seus colegas americanos, desconfiam da possibilidade do vírus ser transmitido pela saliva. Após a notícia de que um paciente nos EUA foi infectado por transmissão sexual, o ministro afirmou que a situação desta outra forma de contágio será estudada e aprofundada:
— Hoje temos essa notícia da presença do vírus zika na saliva. Certamente, isso vai ser pesquisado, mas é um vírus que nós não sabemos a amplitude dele, não sabemos a dimensão da ação. É fundamental, neste momento, o combate ao mosquito aedes aegypti, para que ele não se reproduza e não seja o principal transmissor do vírus zika.
O ministro rebateu afirmações dadas por autoridades da ONU e dos EUA a uma agência de notícias de que a burocracia brasileira estaria dificultando o envio de amostras para o exterior que possibilitariam o avanço das pesquisas feitas em cooperação internacional.
— Se tem algum problema, eu penso que esse problema é marginal e que será facilmente resolvido. O centro – aquilo que a presidenta Dilma ordenou a todo seu governo e que ela própria falou com o presidente Obama – é de uma grande união para que a gente possa não só derrotar o vírus zika no Brasil, mas impedir que ele se espalhe pelo mundo.
De acordo com dados fornecidos pelo ministro, o número de casos de crianças examinadas sobre o diagnóstico de microcefalia já ultrapassa 4700, sendo que mais de 400 bebês já foram confirmados como casos de desenvolvimento da doença em decorrência do zika vírus.
— É uma situação grave, alarmante e, nesse momento, só tem uma arma para que a gente lute contra essa situação que se criou: a consciência do povo brasileiro, impedindo que o mosquito se reproduza, destruindo todos os possíveis criadouros”, disse. “Se nós enfrentamos o mosquito estaremos impedindo que as crianças brasileiras sofram as consequências da microcefalia.
O Globo