PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

APREENSÃO DROGAS NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 GEROU PREJUÍZO DE R$ 6,2 MILHÕES PARA O TRÁFICO DE DROGAS

Compartilhar no WhatsApp

Apreensões já resultaram em prejuízo de R$ 6,2 milhões para o tráfico apenas no primeiro semestre deste ano. Foto: Nilson Feigueiredo
Apreensões já resultaram em prejuízo de R$ 6,2 milhões para o tráfico apenas no primeiro semestre deste ano. Foto: Nilson Feigueiredo
Mais de 1,5 toneladas de drogas foram apreendidas pela Polícia Civil entre os meses de janeiro e julho deste ano. Destas, a maconha é a que teve maior volume, totalizando 1,3 toneladas. Em segundo lugar, o crack, com 200 quilos tirados de circulação, seguido pela cocaína, 12 quilos apreendidos no período. Este montante é avaliado em R$ 6,2 milhões, o que significa prejuízo para as quadrilhas de traficantes, uma vez que deixaram de lucrar com a distribuição e venda desses entorpecentes.
Os números expressivos são fruto de um plano de ações adotados pela Superintendência Estadual de Repressão ao Narcótico (Senarc), da Polícia Civil, que tem como alvo principal os proprietários das drogas e os chefes das quadrilhas. “Nosso alvo são os donos da droga, pois são eles que abastecem as bocas de fumo e proliferam o crime nos bairros. A partir deste trabalho mais organizado conseguimos, inclusive, desmontar quadrilhas interestaduais que agiam aqui no Maranhão.”, pontua o titular da Senarc, delegado Carlos Alessandro Rodrigues.
O poder do tráfico na capital e interior tem sentido o impacto destas ações com a perda de pontos de venda e de dinheiro, com a apreensão dos entorpecentes. Foram mais de R$ 5,3 milhões em prejuízos para os traficantes com a apreensão de aproximadamente 1,5 toneladas de drogas, no período de janeiro de 2015 a maio deste ano. “Com isso, a polícia tem conseguido frear o avanço de grandes quadrilhas e facções que mantinham bases de comando no Estado”, relata o superintendente.
Significativo também é o número de prisões e apreensões de armas. Foram 177 pessoas detidas por envolvimento com o tráfico e mais 22 armas apreendidas no período. As apreensões são realizadas principalmente na chegada ao estado, e, com isso, a polícia impede a distribuição e, consequentemente, a venda. Os criminosos ficam sem dinheiro para se movimentar e isso influi na queda de outros crimes, como os homicídios e assaltos a banco, fora o enfraquecimento das facções.
O plano de monitoramento do tráfico adotado pela equipe da Senarc tem resultado no aumento crescente da apreensão de drogas, cujos números são visíveis na comparação com anos anteriores. De janeiro a maio de 2014, foram apreendidos 30 kg de drogas, enquanto que no mesmo período de 2015, já com o planejamento implantado, esse número foi 12 vezes maior – aproximadamente 380 kg. O aumento gradativo das apreensões se manteve e nos primeiros cinco meses deste ano somaram 600 kg – 1.900% maior em comparação ao mesmo período de 2014.
Apreensões já resultaram em prejuízo de R$ 6,2 milhões para o tráfico apenas no primeiro semestre deste ano. Foto: Nilson Feigueiredo
Apreensões já resultaram em prejuízo de R$ 6,2 milhões para o tráfico apenas no primeiro semestre deste ano. Foto: Nilson Feigueiredo

Denúncia imediata
O superintendente aponta, ainda, a criação do canal de denúncias via whatsapp como uma das ferramentas importantes na contenção do tráfico de drogas. Funcionando no número (98) 9.9163-4899, o novo meio funciona todos os dias, 24 horas e permite à população denunciar de forma anônima. “Com essa ferramenta já conseguimos apreender um carregamento de drogas avaliado em 700 mil. É um canal que está em pleno funcionamento e que ultrapassou nossas expectativas. Que a população continue colaborando”, concluiu o delegado Carlos Alessandro.
Investimento em estrutura
Desde o mês de junho o trabalho de combate ao tráfico conta com apoio de dois cães treinados especificamente para esta finalidade. “A Polícia Civil do Maranhão é a primeira do Nordeste a contar com esse apoio no combate ao crime de tráfico”, enfatiza Carlos Alessandro. E completando o pacote de investimentos do Governo do Estado para as ações, até o final deste ano serão inauguradas cinco delegacias regionais para atuar na prevenção e desenvolvimento de projetos permanentes de conscientização com as comunidades sobre os perigos das drogas e do tráfico.
Trabalho qualificado
A primeira grande medida da gestão Flávio Dino que contribuiu para o aumento nas apreensões de drogas foi a criação da Senarc, aponta o delegado Carlos Alessandro. O órgão foi instituído pela lei n° 10238 de maio de 2015. A superintendência iniciou o funcionamento efetivamente em agosto do ano passado, em substituição ao antigo Denarc – Departamento de Narcóticos, e possui abrangência estadual. “A superintendência é um órgão muito maior e temos agora uma estrutura própria que nos permite uma ação mais direcionada e qualificada, com resultado imediato”, diz o delegado. A Senarc conta nove delegados, investigadores e escrivães.
1,5 toneladas de drogas apreendidas
6,2 milhões em prejuízos para o tráfico
177 pessoas presas por tráfico