,

,
VENHA DESFRUTAR DO QUE HÁ DE MELHOR EM LAZER DA SUA REGIÃO.

.

sexta-feira, 27 de março de 2015

SOCORRO! Em busca de atendimento, idosa é carregada em rede por 5 km em Bacabal

Compartilhar no WhatsApp


Idosa sendo carregada em Bacabal
Uma idosa foi carregada em uma rede por aproximadamente cinco quilômetros para conseguir atendimento médico no povoado Brejinho, zona rural do município de Bacabal, no Maranhão. O caso aconteceu no último domimgo (22), e a família afirma que ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) não apareceram.
Segundo a família, a ambulância do Samu não apareceu e, por isso, a família decidiu carregar a idosa em uma rede para conseguir atendimento.
De acordo com Franciane Sousa, nora da idosa, a família decidiu tomar essa atitude porque o Samu teria negado atendimento duas vezes.
Prefeito Zé Alberto trata a saúde de Bacabal de forma desumana
Prefeito Zé Alberto trata a saúde de Bacabal de forma desumana
“Liguei no sábado pela manhã e liguei no domingo, mas eles disseram que a estrada era ruim, que estava chovendo e o funcionário me disse que tinham quatro ambulâncias lá, mas três estavam quebradas e uma de suporte na rua, atendendo a população”, lamenta.
A idosa só conseguiu atendimento no dia seguinte e foi levada para São Luís, onde permanece internada em estado grave. Segundo a família, dona Alaíde luta contra um câncer há oito anos.
Os moradores registraram o momento em que a idosa era transportada. As imagens mostram que eles tiveram que passar por dentro de um igarapé. A comunidade reclama que o acesso à saúde pública é um problema comum no povoado, onde moram quase cinco mil pessoas.
A direção do Samu em Bacabal confirmou que no dia em que a idosa precisou de atendimento as ambulâncias estavam quebradas. “Nós tínhamos duas ambulâncias paradas, mas, esta semana, todos nossos problemas foram resolvidos”, explica.
A secretária de Saúde de Bacabal, Márcia Regina, informou que as equipes do Programa Saúde da Família (PSF) estão realizando os atendimentos na zona rural diariamente, mas que o acesso a algumas comunidades, por causa das chuvas, tem sido prejudicado. Do G1MA
Clique e veja: