terça-feira, 18 de maio de 2021

ACUSADO DE PARTICIPAÇÃO EM TENTATIVA DE LATROCÍNIO FOI PRESO PELA POLÍCIA CIVIL EM BACABAL.

No dia, 15 de março, deste ano, um casal se deslocava na zona rural de Bacabal, nas proximidades do povoado Mata Fome, quando foi perseguido por cinco (5), indivíduos em três motocicletas. Ao conseguir alcançar as vítimas, eles determinaram que o casal parasse e realizaram uma verdadeira tortura física e psicológica, tanto que chegaram a colocar uma arma de fogo na cabeça do rapaz e acionaram o gatilho por duas ou três vezes, só não causando a sua morte por razões alheias as vontades dos autores, ou seja, porque a arma de fogo falhou. Em seguida, eles mandaram o casal sair correndo para dentro do mato e subtraíram a motocicleta.

 

O Delegado Regional de Polícia Civil de Bacabal, Oséas Cavalcante, representou pela prisão preventiva do indivíduo Genilson Jansen da Silva, tendo em vista que as investigações o apontaram como principal suspeito e as vítimas o reconheceram por fotografias.

 


Na última quinta-feira, 13.05.21, o delegado recebeu em mãos o mandado de prisão exarado pelo poder judiciário, momento em que foi iniciado as diligências no sentido de localizar e prender o acusado.

 

Na sexta-feira, 14.05.21, Genilson, foi localizado pelo delegado e pelo investigador Jobson, quando se preparava na Rodoviária de Bacabal para embarcar rumo a cidade de Matupá, no Mato Grosso. Foi dada voz de prisão em face do cumprimento do mandado de prisão. Ele foi encaminhado ao presídio de Piratininga, onde está à disposição da Justiça.

 





“Ele nega e ele é bastante simulado, mas nós temos evidências bastante robustas, já elementos probatórios hábeis a comprovar a participação dele inclusive segundo as vítimas que o reconheceram, ele era inclusive, o que mais causava pânico nas vítimas. Ele era o que determinava que atirasse nas vítimas, então ele está negando, mas temos provas de que ele participou desse crime”, disse o delegado.

 

“A princípio ele irá responder pelo crime de tentativa de latrocínio tendo em vista que havia a intenção de subtrair o bem da vítima que era a motocicleta e também a intenção de matar a vítima. A vítima só não morreu porque a arma falhou, então a princípio ser a tentativa de latrocínio”, concluiu o Oséas Cavalcante.